Publicado há 3 anos atrás

Ecologia e inovação: cemitério vertical é uma excelente alternativa para o meio ambiente!

O mundo inteiro está de olho e preocupado, cada vez mais, com o meio ambiente, certo? Governos, empresas e sociedade civil estão em busca de alternativas para reduzir os impactos ambientais, também causados pelo acelerado crescimento populacional.

O que você talvez não saiba ainda é que essa preocupação também deve ser levada em conta nos cemitérios, por duas razões principais: o aumento da população faz com que sejam necessários mais espaços para os sepultamentos e os enterros convencionais trazem sérios problemas ao meio ambiente.

Vamos entender melhor?

Saiba porque o cemitério vertical é a melhor alternativa para o meio ambiente

O aumento populacional, como dissemos acima, exige áreas cada vez maiores para o sepultamento de corpos. O problema é que, na maioria das vezes, essas regiões não têm as características geológicas e hidrogeológicas avaliadas corretamente, o que pode levar a graves problemas sanitários e ambientais.

Os cemitérios são áreas que geram alterações no meio físico, constituindo-se como fontes sérias de impacto ambiental. Por isso, o Conselho Nacional do Meio Ambiente publicou, em 3 de abril de 2003, a Resolução nº 335, que estabelece que todos os cemitérios verticais e horizontais deverão ser submetidos ao processo de licenciamento ambiental.

Quais impactos os cemitérios podem causar ao meio ambiente?

– Contaminação do solo

O processo de decomposição de corpos libera diversos metais no solo, sem falar nos diferentes utensílios e materiais que são enterrados com o corpo e o caixão em que ele é sepultado.

O principal contaminante na decomposição dos corpos é um líquido conhecido como necrochorume, que contém cerca de 60% de água, 30% de sais minerais e 10% de substâncias orgânicas degradáveis.

Em solos com alta umidade há um processo conhecido como saponificação, quando ocorre a quebra das gorduras do corpo e a liberação de ácidos graxos. Esse composto tem alta acidez e, por isso, inibe a ação de bactérias putrefativas, retardando o mecanismo de decomposição do cadáver, tornando-o ainda mais contaminante.

A radioatividade é outro contaminante perigosíssimo, liberada por corpos que, antes da morte, ou mesmo depois dela, passaram por aparelhos com emissão de radiação.

– Contaminação do ar

Durante a decomposição do corpo, também há emissão de alguns gases, como o sulfídrico (H2S), além do dióxido de carbono, gás carbônico (CO2), metano (CH4), amônia (NH3) e hidrato de fósforo (PH3).

Mas também podem ser liberados gases como os óxidos metálicos (titânio, cromo, cádmio, chumbo, ferro, manganês, mercúrio e níquel), provenientes dos adereços das urnas mortuárias, incluindo formaldeído e metanol, utilizados no embalsamento.

– Contaminação das águas

Os funerais convencionais também podem trazer sérios problemas à qualidade da água, principalmente os estoques subterrâneos. A infiltração das águas de chuva nos túmulos carrega muitos compostos químicos para o solo, que podem alcançar o aquífero, contaminando-o.

Vale lembrar que a contaminação do lençol freático pode trazer sérios riscos à saúde pública.

Doenças causadas pelos cemitérios convencionais

Assim como as áreas que abrigam aterros sanitários, as regiões com cemitérios horizontais liberam materiais orgânicos e inorgânicos com potencial contaminante. No caso de cemitérios, esses resíduos têm potencial ainda maior de levar à morte pessoas eventualmente contaminadas por eles.

Entre os riscos de degradação de fontes por cemitérios destacam-se os provocados por compostos nitrogenados, responsáveis por doenças como a meta-hemoglobinemia, conhecida como ‘síndrome do bebê azul’, associada ao consumo de água com elevados teores de nitrato.

Por isso, áreas ocupadas por cemitérios precisam de monitoramento contínuo do solo, e águas.

A cremação é uma alternativa menos prejudicial ao meio-ambiente

cremação ocorre normalmente a temperaturas em torno de 900°C e não libera fumaça em seu processo, pois os gases liberados pela queima são capturados e filtrados. Dessa forma, é a solução póstuma de menor impacto ambiental, pois não gera resíduos com potencial de contaminar o ambiente, tanto no solo quanto na atmosfera.

A altas temperaturas da cremação ajudam a eliminar por completo microrganismos que são fontes naturais de poluição.

Cemitérios verticais

Os cemitérios verticais também são uma excelente alternativa para resolver a questão do espaço físico ocupado nos terrenos pelos sepultamentos e para minimizar os impactos ambienteis.

Neste caso, os corpos são depositados em instalações que se assemelham a edifícios e oferecem a facilidade de menor espaço físico, ausência de interferência do necrochorume e resíduos nas águas subterrâneas, baixa exigência quanto ao tipo de solo, facilidade de sepultamento e visitas em dias chuvosos.

Nos cemitérios verticais também não há contato direto do corpo com o terreno, diminuindo os riscos produzidos pela contaminação tanto do solo quanto dos recursos hídricos.

Conheça o Cemitério Vertical Metropolitano

O Cemitério Vertical Metropolitano fica em São Vicente e é a melhor escolha para você oferecer uma despedida honrosa e tranquila para o ente amado, além de garantir um sepultamento sem impactos ao meio ambiente. Contando com excelentes salas para velório e para cerimonial de cremaçãolóculos pérpetuos para um sepultamento sustentável e seguro. Entre em contato com a nossa equipe, que está disponível 24h, através dos telefones 13 3048 4755 | 13 3048 4257, WhatsApp ou preenchendo o formulário do site e preserve o meio ambiente!

______

O Cemitério Metropolitano é um cemitério vertical localizado em São Vicente/SP, utilizando técnicas modernas para a minimização de impactos ambientais, com suas instalações e lóculos. Possui crematório, salas para velório, ossuários e realiza cerimonial de cremação, para quem deseja prestar sua última homenagem.

Categoria: Cemitério Vertical

Acompanhe no Instagram!

WhatsApp
WhatsApp