Publicado há 4 meses atrás

Como funciona a cremação de despojos?

Antes de tudo, a perda de um ente querido implica momentos difíceis e decisões importantes para os familiares. Por exemplo, realizar o sepultamento, fazer o translado para outro local quando necessário, lidar com a documentação, realizar a exumação após 3 anos do óbito aproximadamente, optar pelo lóculo perpétuo ou temporário, dentre outros. Contudo, quando a família opta pela cremação de despojos, o procedimento é simples sendo necessário apenas o contato com o cemitério, que dará todo o suporte para a realização do projeto.

No dicionário “despojos” significa restos, aquilo que sobra, fragmentos. Por isso, trataremos no texto os restos mortais como despojos. Ou seja, utilizamos a expressão “cremação de despojos” em referência aos restos mortais de um ente querido que faleceu.

Ainda assim, dentre os benefícios do processo, podemos destacar a tranquilidade de não precisar tomar mais nenhuma decisão referente aos restos mortais após a cremação.

Nesse sentido, é possível fazer o transporte das cinzas com maior facilidade, independentemente de a família decidir manter a urna com as cinzas no cemitério ou em casa. Todavia, existe também a opção de espalhar as cinzas pelo local favorito do ente querido.

Por isso, listamos algumas questões que você precisa saber sobre cremação e a cremação de despojos:

Cremação

A cremação transforma o corpo em cinzas utilizando fornos com filtros específicos que contam com tecnologias que permitem que esse processo seja realizado.

Neste post, falamos mais sobre a cremação e como ela é vista em outros lugares do mundo.

Há quanto tempo existe a cremação

A cremação é o ritual fúnebre mais antigo do mundo, e por antigo estamos falando de milhares de anos atrás.

Evidências apontam que processos crematórios existem desde o início da idade da pedra, sendo inclusive, encontradas cinzas humanas que datam de aproximadamente 60 mil anos.

De acordo com diversos livros de História existe a comprovação de que as civilizações mais organizadas, como os gregos, que, por volta do ano 1000 a.C. já utilizavam a cremação como rito fúnebre.

A cremação mais antiga conhecida da História

Senhora de Mungo: estima-se que se trate da cremação de uma mulher jovem, efetuada há cerca de 25000 anos.

Saiba mais aqui.

A cremação no Brasil

No Brasil, a cremação cresce de forma exponencial, contando com mais informações sobre o processo por ser um assunto que ainda gera muitas dúvidas nas pessoas.  

A cremação dos despojos

O que talvez poucas pessoas tenham conhecimento é que a cremação de despojos é um processo que simplifica a conservação, transporte e também proporciona novas formas de homenagem, mesmo para alguém que já faleceu há vários anos.

Como armazenar as cinzas da cremação dos despojos

Por lei, os ossos permanecem armazenados nos cemitérios. Contudo, as cinzas podem ficar em casa ou serem levadas para um local específico de escolha da família ou do ente querido.

Por que optar pela cremação de despojos

Além de ser prática, ecologicamente correta, higiênica e econômica, a cremação de despojos é uma oportunidade de fazer uma nova homenagem à pessoa querida, tornando-se a escolha com menor custo para quem ainda não possui um jazigo familiar.

Fale com o Metropoliano

Mande sua mensagem através do telefone, (13) 3467-4864 ou pelo WhatsApp: (13) 99661-4644.

Se você se sentir mais confortável, preencha o formulário aqui mesmo no site.

Estamos prontos para atendê-lo!

O Cemitério Metropolitano é um cemitério vertical localizado em São Vicente/SP que utiliza técnicas modernas para a minimizar os impactos ambientais inerentes ao processo de sepultamento.

Categoria: Sem categoria

Acompanhe no Instagram!

WhatsApp
WhatsApp
WhatsApp