Publicado há 2 meses atrás

Que tipo de mulher você é enfrentando o luto? 

Perder alguém amado é um momento único. Não é possível medir o sofrimento, muito mesmo seguir uma receita para “superar” a morte de alguém. A ausência daquela pessoa será uma presença eterna e é necessário se acostumar com essa nova realidade. Cada um passa pelo luto de uma forma diferente. As próprias perdas tocam a mesma pessoa de formas diferentes. Ao perder sua mãe, você passou pelo luto de uma forma, ao perder seu pai, a experiência é uma novidade também.

No entanto, a responsabilidade de cuidar daqueles que estão em volta e também perderam alguém, pode cair em cima da mulher da família. Ao perder o marido, por exemplo, a mãe ainda se sente na obrigação de cuidar dos filhos, mesmo eles sendo adultos já, e de alguma forma protegê-los do luto. Mas o texto de hoje é um lembrete para você cuidar de si mesma, se pôr em primeiro lugar ao invés de priorizar as necessidades da sua família. Porque, afinal, é preciso estar bem para poder cuidar do outro. 

E para te ajudar a abrir de qualquer regra, vamos abordar as 5 fases do luto. Assim, você pode identificar que tipo de mulher você é enfrentando o luto. E descobrir que não existe receita, que não é necessário passar por todas as fases, nem seguir uma ordem determinada, assim tempo certo para enfrentar o luto. 

Para saber mais sobre essas fases, confira o texto. Temos certeza que isso vai te ajudar a entender melhor seus sentimentos. 

Se preferir, clique direto no tópico:

As 5 fases do luto

Negação e isolamento

Raiva

Barganha

Depressão

Aceitação

Como lidar com o luto (vídeo)

As 5 fases do luto

A psiquiatra suiça Elisabeth Kübler-Ross, observou as 5 reações mais comuns em pessoas que perderam alguém. A partir disso, foram estabelecidas as 5 fases, ou estágios, do luto. No entanto, essa teoria não estabelece nenhuma ordem cronológica, nem mesmo a obrigação de se passar por cada uma delas. 

Algumas pessoas podem passar por 2 ou 3 fases apenas. Enquanto outras, acrescentariam outros sentimentos que não identificaram nesses 5. Apesar do embasamento e da relevância do estudo, a teoria é uma generalização e, por isso, flexível.

No entanto, ao ver quais são essas 5 reações, você pode identificar seus sentimentos, entendê-los e, então, elaborar a fase do luto para que ela se torne cada vez mais leve. Para que a dor vá embora e reste apenas a saudade, o amor e as boas memórias.

A seguir, confira quais são as 5 fases do luto.

    1. Negação e isolamento

Ao se deparar com partida de alguém, que será eterna, o mais comum é a sensação de estranheza. Isso varia de acordo com a proximidade que se tem daquele que partiu. Quanto mais próximo, quanto mais apegado, quanto mais convivência se tem, maior a sensação de estranheza, de falta, de vazio. 

A negação pode ser íntima, silenciosa, ou gritada aos quatro ventos. É aquela sensação de “só pode ser um engano”. É a esperança que alguém surja com a informação correta, que desminta que aquela pessoa foi para sempre.

Muitas pessoas encontram nessa fase a segurança necessária. Negar é evitar a ruptura, é deixar a morte como um assunto para amanhã, é não lidar com a falta.

Não existe tempo certo. Mas ao permanecer por um longo período nesse estágio, a pessoa pode acabar se prejudicando, não seguindo a vida, não fazendo planos. Nesses casos, a terapia é importante.

    1. Raiva

A raiva é mais um sentimento comum. Dependendo do tipo de morte, é inevitável sentir raiva, ao se deparar com a injustiça, com a maldade. Mas a raiva também surge devido à frustração, ao perceber que a morte não é um problema que possa ser resolvido, que foge do controle. Frustração, impotência… raiva.

A permanência nesse estágio pode dificultar o relacionamento com outras pessoas. 

    1. Barganha

Esse é o momento em que se aceita a morte, mas acredita-se que ela pode ser negociada, revertida. É se perder na própria imaginação, relembrando momentos que antecederam a perda, como se fosse possível tomar decisões diferentes, mudar fatos, qualquer coisa que mude o desfecho da história, que reverta a morte.

Também é comum que as pessoas tentem negociar com o sobrenatural. Uma promessa, uma troca, qualquer coisa que devolva a vida, que estenda o momento dessa pessoa.

Essa reação é ainda mais comum quando a morte está próxima, como em casos de doenças terminais. Como se a fé, promessas e atitudes pudessem determinar o resultado. Nesse momento, a barganha é positiva, não existe nenhum problema em ter fé, em ter esperança.

O problema é lidar com a frustração quando a morte ocorre, que leva a outros estágios do luto.

    1. Depressão

A tristeza profunda vem com a aceitação da morte. A perda é sentida da forma mais completa e profunda possível. E deixa tudo sem sentido, desinteressante e dispensável. Mas ao contrário do que muitos possam pensar, vivenciar a depressão durante o luto não é um problema, não é uma doença que precisa de cura. Aliás, a única forma de lidar com o luto é passando por ele. A única forma de superar a tristeza e a dor da perda é passando através delas.

A terapia, nesse caso, serve como um apoio. Muitas pessoas sentem que estão incomodando, que estão sendo repetitivas ou não confiam em ninguém para compartilhar seus sentimentos. Um psicólogo pode ajudar nessa travessia, ajudando a elaborar esse sentimento.

É vivendo o luto que a superação acontece e não existe tempo certo para isso. 

    1. Aceitação

Aceitar o luto não significa deixar de sentir, mas é um momento importante em que se compreende a realidade, aceita-se a morte e, assim, segue-se em frente, permite-se que a vida encontre uma nova forma de ser. É o momento em que se aceita a mudança e se permite que ela aconteça.

Não existe esquecimento do luto, não existe deixar de sentir, mas é possível se adaptar. Voltar a fazer o que era importante, descobrir novos gostos. Sonhar de novo – e voltar a tentar.

Como lidar com o luto

Entender seus sentimentos é o primeiro passo para lidar com eles. Quando se trata de sentimentos negativos, dolorosos, tristes, nossa tendência é fugir, reprimir, julgar, entregar os pontos. Mas é possível tomar decisões benéficas, mesmo em um momento ruim, para que no futuro os sentimentos sejam melhores.

Confira a seguir algumas atitudes que podem ajudar a lidar com o luto:

      • 1 – Não fuja, vivencie o luto. Reprimir é uma reação de autopreservação, mas a única forma de superar é sentindo por pior que seja. Os dias passarão e a dor se tornará mais suportável aos poucos.
      • 2 – Tenha paciência. É comum julgar os próprios sentimentos, cobrar determinadas atitudes, querer superar rápido. Mas cada um tem o seu próprio tempo, respeite o seu e não se compare com outras pessoas, nem compare seu momento atual com experiências anteriores.
      • 3 – Cuide de você. Alimente-se bem e faça o possível para ter uma rotina saudável, mesmo com exercícios leves, como caminhadas, e até mesmo aproveitar o dia para tomar sol já é um autocuidado importante.
      • 4 – Liberte-se da culpa. Acredite, não há nada que você pudesse ter feito para mudar a morte de alguém. Remoer o passado e se culpar não tornará o luto mais, nem trará a pessoa de volta.
      • 5 – Busque ajuda. O luto e os sentimentos inerentes a ele não são um problema, mas ter ajuda pode tornar o momento mais leve. Se estiver difícil seguir em frente, aceitar a morte, livrar-se da culpa, procure um psicólogo.

Conclusão

Você conseguiu identificar seus sentimentos? Esse é o primeiro passo para lidar com eles e seguir em frente. É muito comum agir no automático e ignorar o que estamos sentindo. Por isso, muitas vezes, a terapia se faz tão importante. Afinal, é um momento para você conversar com você mesma e se entender. E, a partir desse entendimento, tomar atitudes e nutrir pensamentos mais saudáveis. 

Não existe regra para viver o luto, mas é inevitável vivenciá-lo para, então, seguir em frente. A saudade pode nunca ir embora, mas é possível senti-la sem a dor e a tristeza.

Conheça o Cemitério Vertical Metropolitano em São Vicente

Aqui no Cemitério Metropolitano, o cerimonial de cremação  e o cerimonial de sepultamento podem ser realizados na Sala Roma, nosso ambiente projetado para uma experiência sensorial para realizar cerimônias de velório e homenagens póstumas.

Ainda há a opção de escolher pelo velório online, em que é possível aproximar familiares e amigos que estejam longe e não consigam chegar a tempo da despedida.

Além disso, possuímos planos de pagamento acessíveis. Nós sempre incentivamos as pessoas a se planejarem para o momento da despedida que, afinal, é inevitável, mas pode ocorrer de maneira mais tranquila para os familiares.

Com planejamento, é possível facilitar a burocracia, passando com mais calma pelo momento do luto, assim como diminuir o valor das despesas e ainda respeitar os desejos de quem se foi.

Tem dúvidas sobre o Cemitério Metropolitano? Fale com a gente:

Mande mensagem através do WhatsApp, pelo telefone (13) 3467-4864 | (13) 9966-14644 ou mande uma mensagem aqui mesmo no site. Estamos prontos para melhor atender você e tirar suas dúvidas!


O Cemitério Metropolitano é um cemitério vertical localizado em São Vicente/SP. Utilizando técnicas modernas para a minimização de impactos ambientais, com suas instalações e lóculos. Possui crematório, salas para velório, ossuários e realiza cerimonial de cremação, homenagem póstuma e cerimônias religiosas para quem deseja prestar celebrar a memória de um ente querido.

Categoria: Curiosidades

Acompanhe no Instagram!

WhatsApp
WhatsApp