Publicado há 1 ano atrás

Como se planejar para as despesas com sepultamento?

Atualmente, muito tem se falado sobre planejamento financeiro e controle de gastos. Mas será que, além de consumirem esses conteúdos, as pessoas têm posto os ensinamentos em prática?

Em 2018, a pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) afirma que a organização financeira não é uma tarefa que atrai os brasileiros.

Mas essa é uma realidade que tem mudado aos poucos. O engajamento desse tipo de conteúdo só mostra que as pessoas estão se dando a oportunidade de adquirir uma educação financeira, mesmo que essa mudança esteja acontecendo a passos de formiga.

No entanto, apesar das várias dicas financeiras, existe um assunto nunca citado: o planejamento para as despesas com sepultamento, velórios e demais serviços funerários.

E é sobre isso que falaremos neste texto, como dá para economizar quando o assunto é o falecimento de familiares? E, mais do que economia, o planejamento para esses momentos traz tranquilidade para a família em um momento que já é muito difícil e doloroso.

 

Por onde começar a se planejar?

Mais do que cortar gastos, o planejamento envolve fazer as escolhas certas no momento certo. Por exemplo, seguro de vida, plano funerário, aquisição de jazigo perpétuo, testamento, entre outros.

Pegue papel e caneta e anote nossas dicas!

 

1 – Tenha uma reserva financeira

Apesar de não ser tudo, cortar gastos é sim importante para quem quer ter planejamento financeiro. É necessário estar preparado para imprevistos.

A primeira reserva que todos devem fazer é aquela que suprirá as despesas do mês por, no mínimo, seis meses, chama de “reserva de emergência”. Então, por exemplo, se sua despesa mensal é de mil reais, então você precisa ter guardado 6 mil reais. O mais indicado, no entanto, é que essa reserva cubra os custos de um ano.

Na teoria, isso é simples: some tudo o que você gasta do mês, se já sobra algum dinheiro, determine o quanto você vai guardar dessa sobra. Caso você gaste todo seu salário e rendimentos, precisa escolher do que abrirá mão para começar sua reserva de emergência.

E não guarde o dinheiro no colchão, viu? Sempre busque por opções de investimentos de baixo risco para ter algum rendimento sobre sua reserva.

A dica para fazer isso é: sempre guarde o dinheiro antes, não espere ver o que vai sobrar para só então guardar. Porque a tendência é não sobrar nada mesmo.

Depois dessa primeira reserva, você pode começar a guardar dinheiro para outros planos: viagens, reformas, carro e, claro, as despesas com sepultamento.

 

2 – Pesquise maneiras de manter a família estável financeiramente

Ao formar uma família, a necessidade de protegê-la é latente. Em um momento de perda, filhos e cônjuges estarão preparados financeiramente? Para garantir estabilidade e conforto é necessário pesquisar e se planejar.

Escolher um bom seguro de vida pode garantir estabilidade para a família após a morte de um membro.

E contar com aquisição preventiva de serviços funerários é a maneira mais eficiente de economizar com os custos do velório e sepultamento ou cremação.

Independentemente da escolha, contratar esses serviços de forma preventiva traz uma boa economia. E você não precisa nem adquirir o serviço à vista, pois dá para economizar mesmo comprando a prazo.

Por isso, faça uma pesquisa entre os cemitérios da região e compare o melhor custo-benefício para você e sua família.

 

3 – Faça escolhas antecipadas

O momento da perda de um familiar é muito conturbado. Os familiares estão psicologicamente abalados, mesmo assim precisam fazer várias escolhas importantes.

Mas dá para evitar esse “peso excessivo” antecipando algumas decisões. Além disso, também tira o peso de a família ter que encontrar recursos para pagar pelos serviços funerários, muitas acabam recorrendo ao empréstimo bancário para conseguir lidar com tudo.

Confira todas as decisões que precisam ser tomadas após o falecimento de um familiar:

  1.  Qual cemitério?
  2. Sepultamento ou cremação?
  3. Onde realizar o velório?
  4. Providências burocráticas (atestado e certidão de óbito, testamento, inventário, documentos referentes à cremação)

Tudo isso envolve dinheiro, não dá tempo de escolher o melhor serviço e a opção mais econômica, sem perder a qualidade, pois não existe tempo hábil para a pesquisa. Por isso, fazer essa pesquisa e escolhas de forma antecipada é a melhor opção tanto econômica quanto para o bem-estar da família.

Tratar o planejamento do serviço funerário como algo mórbido não passa de um tabu. Como você viu, é algo simples e prático, quando feito de maneira antecipada e preventiva. A dor da perda não pode ser anulada, mas as burocracias relacionadas a ela podem ser reduzidas.

Conte com o Cemitério Vertical Metropolitano

Adquirir o jazigo perpétuo no Cemitério Vertical Metropolitano garante tranquilidade para toda sua família. Oferecemos excelente infraestrutura que a sua família precisará na hora do adeus.

Somos a melhor opção para você oferecer uma despedida tranquila para quem partiu. Nós incentivamos as pessoas a se planejarem para a hora da morte. Com planejamento, é possível facilitar a burocracia, usufruindo de maior tranquilidade no momento do luto, assim como diminuir o valor das despesas e ainda respeitar os desejos de quem se foi.

Entre em contato, tire suas dúvidas e venha conhecer nosso ambiente!

Mande mensagem através do WhatsApp, pelo telefone (13) 3048-4257 | (13) 98188-6139 ou mande uma mensagem aqui mesmo no site. Estamos prontos para melhor atender você e tirar suas dúvidas!


O Cemitério Metropolitano é um cemitério vertical localizado em São Vicente/SP, que oferece assistência e plano funerário. Utilizando técnicas modernas para a minimização de impactos ambientais, com suas instalações e lóculos. Possui crematório, salas para velório, ossuários e realiza cerimonial de cremação, para quem deseja prestar sua última homenagem.

Categoria: Serviço Funerário

Acompanhe no Instagram!

WhatsApp
WhatsApp